A epidemiologia da influenza a (H1N1)

  • Marly de Fátima de Paula
  • João Luiz Coelho Ribas

Resumo

RESUMO

 

A epidemia causada pelo vírus H1N1 foi inicialmente diagnosticada no México dentre os meses de março e abril de 2009 e teve grande impacto midiático e populacional. Em junho de 2009 a Organização Mundial de Saúde (OMS) informou a existência de uma pandemia em estagio 6 (seis) - de alto nível, demostrando a difusão do vírus em pelo menos dois continentes. Em função do seu risco potencial de alta letalidade, foi realizada esta pesquisa, de forma a melhor compreender o comportamento do vírus nos próximos anos, bem como as ações de enfrentamento para evitar novos surtos. A influenza, também conhecida como gripe, é uma doença viral adquirida através do contato humano com animais domésticos. Os suínos são importantes hospedeiros do vírus Influenza H1N1 (swine-like Influenza A) e, sendo assim, estão susceptíveis às infecções por vírus Influenza de origem aviária e humana. Além disso, possuem papel relevante na transmissão viral entre espécies e na epidemiologia da influenza humana. A epidemia por Influenza A H1N1/2009 representou um imenso desafio para as autoridades de saúde pública e para os setores privados da saúde, no que se refere às ações de planejamento e execução de medidas de prevenção, diagnóstico e tratamento. Foram identificados casos confirmados de contaminação pelo vírus em 214 países até abril de 2010. Embora estejamos em período pós-pandemia, acredita-se que o vírus H1N1 tenha atualmente um comportamento semelhante ao vírus de gripe sazonal, causando focos infecciosos localizados e com níveis ainda significativos de transmissão. Destaca-se a preocupação com a saúde dos trabalhadores diretamente ligados à área de saúde, já que essa atividade apresenta uma situação de risco aos trabalhadores envolvidos e também à comunidade.

 

Palavras-chave: Epidemia, pandemia, Influenza A H1N1, saúde pública, prevenção, diagnóstico, tratamento, pós-pandemia, trabalhadores da saúde.

 

ABSTRACT

 

The epidemic caused by the H1N1 virus was initially diagnosed in Mexico from March to April 2009 and had a great media coverage as well as affected the population greatly. In June 2009, the World Health Organization (WHO) declared that there was a high-level stage 6 epidemic by showing the spread of the virus through at least two continents. Due to the virus high lethal potential the following study was idealized in order to understand the behavior of the virus in the following years as well as the actions to be taken to avoid new outbreaks. The influenza, also known as The Flu, is a viral infection acquired through human contact with animals. The swine are important hosts of the H1N1 virus (swine-like Influenza A) so they are susceptible to infections by the influenza virus from fowls and humans. They also play an important role in viral infections among species and in the human influenza epidemiology. The Influenza A H1N1/2009 epidemic represented a huge challenge for the public health authorities and also for the private health sector regarding prevention, diagnosis, and treatment action and execution plans. There were H1N1 virus confirmed contamination cases in 214 countries up to April 2010. Although we have been in a post-pandemic period, the experts believe that the H1N1 virus has a similar behavior as the seasonal virus that can cause focus of infection in specific locations and with significant levels of transmission. It is also important to emphasize the concern of health professionals and the population since they are at risk.        

 

Key words: Epidemic, pandemic, Influenza A H1N1, public health, prevention, diagnoses, treatment, post-pandemic, health professionals.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-12-27
Seção
Editorial