O uso indiscriminado de antibióticos e as resistências bacterianas

  • Josefa Vancleide Alves dos Santos Garcia CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL
  • Larissa Comarella

Resumo

Resumo

Os antimicrobianos foram desenvolvidos para tratar doenças infecciosas, uma descoberta inegavelmente revolucionária para a ciência, bem como para o mercado de remédios no mundo todo. Contudo, o surgimento de bactérias que resistem aos efeitos desses antimicrobianos se tornou um desafio para a medicina. A resistência bacteriana está associada ao uso indiscriminado de medicamentos. A busca por efeitos imediatos leva o paciente a recorrer a prescrições desnecessárias e deturpadas, ou à automedicação. Por conta disto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aponta duas práticas distintas: a automedicação e o uso indiscriminado de medicamentos. Tal realidade requer estudos para conscientização sobre o uso de antibióticos. Sendo assim, objetiva-se discutir e fomentar o tema para que a preocupação entre os profissionais de farmácia também seja validada, em vista dos riscos causados pela utilização inadivertida de remédios. Inicialmente, o estudo recorrerá ao metódo da pesquisa bibliográfica sobre o uso indiscriminado de antimicrobianos, pautado na necessidade de atenção a respeito da aplicação desses medicamentos.

Palavras-chave: Antibióticos. Resistência Bacteriana. Medicamentos. Saúde. Conscientização.

Abstract

Antimicrobial were developed to treat infectious diseases, being an undeniably revolutionary discovery to science and to pharmaceutical market worldwide. However, the emergence of bacteria resistant to the effects of these antimicrobial became a challenge to medicine. Bacterial resistance is associated to indiscriminate use of drugs. Chasing immediate effects, patients resorts to unnecessary and misleading prescriptions or self-medication. Because of that, the national health surveillance agency points out two distinct practices: self-medication and the indiscriminate use of medicines. This reality requires studies to raise awareness about the use of antibiotics. Thus, the aim is to discuss and promote the theme, so the concern among pharmaceutical professionals is also validated, considering risks caused by inadvertent medicine usage. Initially, the study will adopt bibliographic research about indiscriminate utilization of antimicrobial, based on the need for attention to applicability of these drugs.

Keywords: Antibiotics. Bacterial resistance. Medicines. Health. Awareness.

Resumen

Los antimicrobianos fueron desarrollados para tratar enfermedades infecciosas, un hallazgo sin dudas revolucionario para la ciencia, así como para el mercado de medicamentos en todo el mundo. Sin embargo, el surgimiento de bacterias que resisten a los efectos de esos antimicrobianos se tornó un reto para la medicina. La resistencia bacteriana está asociada al uso indiscriminado de medicamentos. La búsqueda de efectos inmediatos lleva al paciente a recurrir a prescripciones desnecesarias y distorcionadas o a la automedicación. Por ello, la Agencia Nacional de Vigilancia Sanitaria (Anvisa) apunta dos prácticas distintas: la automedicación y el uso indiscriminado de medicamentos. Tal realidad exige estudios para la conscientización sobre el uso de antibióticos. De esa manera, se pretende discutir y fortalecer el tema para que la preocupación de los profesionales de farmacia también sea validada, en virtud de los riegos causados por la utilización sin control de medicamentos. Inicialmente, el estudio recurrirá al método de investigación bibliográfica sobre el uso indiscriminado de antimicrobianos, centrado en la necesidad de atención respecto a la aplicación de esos medicamentos.

Palabras-clave: Antibióticos. Resistencia bacteriana. Medicamentos. Salud. Conscientización.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josefa Vancleide Alves dos Santos Garcia, CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL

SAÚDE E DESENVOLVIMENTO

Larissa Comarella

Farmacêutica (UFPR), Especialista em Gestão da Assistência Farmacêutica (UFSC) e Mestre em Ciências (Bioquímica — UFPR), orientadora de TCC do Grupo Uninter.

Referências

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Argus Vasconcelos de; MAGALHÃES, Francisco de Oliveira. Robert Hooke e o problema da geração espontânea no século XVII. Revista Latino Americana de Filosofia e História da Ciência, São Paulo, v. 8, n. 3, p.367- 388, 2010.

AUTO, CONSTANT, CONSTANT, Antibióticos e Quimioterápicos, 5 ed. Maceió/AL, Editora UFAL, 2008.

BAPTISTA, M. G. F. M. Mecanismos de Resistência aos Antibióticos. 2013. monografia (Dissertação de Mestrado) - Curso de Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, Lisboa.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada RDC nº 20, de 05 de maio de 2011.Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/. Acesso em 05 de maio de 2018.

CASSIANI SHB, Teixeira TCA, Opitz SP, Linhares JC. O sistema de medicação nos hospitais e sua avaliação por um grupo de profissionais. Revista Escola de Enfermagem, 39 (3): 280-287, 2005.

GUIMARÃES, D. O; MOMESSO, L. S; PUPO, M. T. Antibióticos: Importância Terapêutica e Perspectivas Para a Descoberta e Desenvolvimento de Novos Agentes. Quim. Nova., v.33, n. 3, p.667-679, fev. 2010.

______Antibióticos: importância terapêutica e perspectivas para a descoberta e desenvolvimento de novos agentes, Quím. Nova, v. 33, n. 3, 2010.

HOEFEL, H. H. K; LAUTERT, L. Administração Endovenosa de Antibióticos e Resistência Bacteriana: Responsabilidade da Enfermagem. Rev. Eletrônica de Enfermagem., v.8, n.3, p. 441-499, 2006.

KOLLEF M.H.; SHERMAN, G.; WARD, S.; FRASER, V.J. Inadequate antimicrobial treatment of infections: A risk factor for hospital mortality among critically ill patients. Chest. 1999.

MOREIRA LB. Princípios para uso racional de antimicrobianos. Revista AMRIGOS, v. 48, n.2, 2014.

NORDBERG, P.; MONNET, D. L.; CARS, O. Priority Medicines for Europe and the World "A Public Health Approach to Innovation" Background Paper 6.1 Antimicrobial resistance World Health Organization - WHOAbr 2013. 2013.

PEDROTTI, L. et al. Uso de antibióticos: novas regras visam o controle do uso indiscriminado. Boletim Epidemiológico. v. 7, n.2, 2011.

RODRIGUES FDA, BERTOLDI AD. Perfil da utilização de antimicrobianos em um Hospital Privado. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v.15, p.1239-1247, 2010.

RIGATTI, F. Detecção da resistência à oxacilina e perfil de sensibilidade de Staphylococcus coagulase negativos isolados em um hospital escola. [Dissertação]. Santa Maria: Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina; 2010.

ROSA, Antibióticos, bases, conceitos e fundamentos essenciais para o profissional de saúde, 2011, 89 f. TCC – Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC, Criciúma, 2011.

SANTOS, N. Q. A resistência Bacteriana no Contexto da Infecção Hospitalar. Texto Contexto Enferm., v.13, n.esp, p.64-70, fev. 2004.

SILVEIRA et al., Estratégias utilizadas no combate a resistência bacteriana, Quim. Nova, v. 29, n. 4, p. 844-845, 2006.

WANNMACHER, L. Uso indiscriminado de antibióticos e resistência microbiana: uma guerra perdida? Uso racional de medicamentos: temas selecionados, v. 1, n. 4, Brasília, 2004.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. The World Medicines Situation 2011: Rational use of antibiotics. Geneva, Switzerland: WHO; 2011.

Publicado
2021-04-15
Seção
Artigo